5 dicas para alavancar seu negócio mesmo na crise

Cotações e Índices

Moedas - 26/03/2019 16:37:29
  • Nome
  • Compra
  • Venda
  • Comercial
  • 3,867
  • 3,868
  • Paralelo
  • 3,850
  • 4,040
  • Turismo
  • 3,710
  • 4,020
  • Euro
  • 4,361
  • 4,362
  • Iene
  • 0,035
  • 0,035
  • Franco
  • 3,892
  • 3,892
  • Libra
  • 5,109
  • 5,112
  • Ouro
  • 163,280
  •  
Mensal - 14/02/2019
  • Índices
  • Dez
  • Jan
  • Inpc/Ibge
  • 0,14
  • 0,36
  • Ipc/Fipe
  • 0,09
  • 0,58
  • Ipc/Fgv
  • 0,21
  • 0,57
  • Igp-m/Fgv
  • -0,49
  • 0,01
  • Igp-di/Fgv
  • -0,45
  • 0,07
  • Selic
  • 0,49
  • 0,54
  • Poupança
  • 0,50
  • 0,50
  • TJLP
  • 0,56
  • -
  • TR
  • -
  • -

Obrigações Tributárias do Dia

  • 29/Março/2019
  • IOF | Imposto sobre Operações Financeiras.
  • COFINS/PIS-PASEP | Retenção na Fonte – Autopeças
  • IRPJ/CSL | Imposto de Renda Pessoa Jurídica e da Contribuição Social sobre o Lucro | Apuração mensal.
  • IRPJ/CSL | Imposto de Renda Pessoa Jurídica e da Contribuição Social sobre o Lucro | Apuração trimestral
  • IRPJ/CSL - Lucro real anual - Saldo de 2018
  • IRPJ | Imposto de Renda Pessoa Jurídica | Renda variável
  • IRPJ/Simples Nacional | Ganho de Capital na alienação de Ativos
  • IRPF | Imposto de Renda Pessoa Física
  • FINOR/FINAM/FUNRES | Apuração mensal
  • FINOR/FINAM/FUNRES | Apuração trimestral
  • REFIS/PAES | Programa de Recuperação Fiscal
  • REFIS | Programa de Recuperação Fiscal
  • PAEX 1 | Parcelamento Excepcional
  • PAEX 2 | Parcelamento Excepcional
  • Simples Nacional | Parcelamento Especial
  • INSS | Previdência Social | Simples Nacional | Parcelamento Especial
  • Previdência Social (INSS) | Programa de Modernização da Gestão e de Responsabilidade Fiscal do Futebol Brasileiro | Profut || Parcelamento de débitos junto à RFB e à PGFN
  • Previdência Social (INSS) | Programa de Recuperação Previdenciária dos Empregadores Domésticos - Redom (Parcelamento de débitos em nome do empregado e do empregador domésticos junto à PGFN e à RFB)
  • DOI | Declaração de Operações Imobiliárias
  • DME | Declaração de Operações Liquidadas com Moeda em Espécie
  • Declaração de Benefícios Fiscais (DBF)
  • Informações prestadas pelas entidades de previdência complementar, sociedades seguradoras e administradoras de Fapi
  • Declaração de Rendimentos Pagos a Consultores por Organismos Internacionais (Derc)
  • Declaração de Transferência de Titularidade de Ações (DTTA)
O que você achou do nosso novo site?
Ótimo
Bom
Regular

A crise econômica brasileira impactou a maioria dos setores da economia. De acordo com dados da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo, a Intenção de Consumo das Famílias (ICF) do país caiu 78,4 pontos no ano passado. Este número menor do que 100 pontos demonstra a insatisfação dos consumidores.

Para que os pequenos varejistas consigam superar essa fase, é preciso recuperar a confiança do consumidor. “Todo mundo está sem saber o que fazer nessa época de crise, mas o maior problema é a insegurança do consumidor”, afirma o consultor de varejo Marco Quintarelli.

A insegurança com o próprio dinheiro faz com que o comprador repense cada vez mais os seus gastos e ainda corte boa parte deles. Para garantir o sucesso de seu negócio, o varejista deve mostrar para o consumidor, de alguma forma, que vale a pena continuar comprando em sua loja.

Para Quintarelli, esse momento de crise pode vir com muitas oportunidades que não podem ser desperdiçadas. “Quando a pessoa encontra um problema, ela vai ter que buscar alguma maneira de solucioná-lo. O bom é ir atrás de palestras, cursos e interagir para que se desenvolvam novas ideias para o empreendimento”, afirma. Veja cinco dicas para que os empreendedores consigam impulsionar suas vendas mesmo com a crise:

1. Balanço geral

O começo do ano pode ser aproveitado para fazer um balanço de onde a empresa se encontra e traçar metas. “É bom fazer um mapeamento do que você tem pela frente e quais são os próximos passos”, diz Quintarelli. Nessa tomada de decisões, os funcionários não podem ser deixados de lado. Eles devem estar cientes dos motivos de certas medidas e incentivados a ajudar no aumento das vendas.

2. Inovação

Quando o empreendimento não está indo para frente, chegou o momento de pensar em novas estratégias para chamar a atenção do consumidor. Nessas horas, duas – ou mais – cabeças pensam melhor do que uma. Chamar a equipe para ajudar com ideias inovadoras pode abrir caminhos que nunca foram pensados antes. “Acho bom que a empresa crie um tipo de benefício para os membros da equipe que tiverem as melhores ideias”, afirma.

3. Monitoramento de mercado

Empreendedores do setor varejista devem ficar atentos a tudo que está acontecendo ao seu redor. O mercado deve ser analisado atentamente, principalmente a concorrência. “É preciso ficar atento a todos os tipos de concorrentes, diretos ou indiretos. Às vezes, uma coisa que está acontecendo em outro lugar pode te ajudar a definir quais ações tomar no seu negócio”, diz.

4. Clientes

“A gente sempre fica preocupado em conseguir clientes novos. Mas, em primeiro lugar, é preciso reforçar a fidelização daqueles clientes que você já tem”, afirma o consultor de varejo. É importante conseguir novos clientes, mas eles só serão conquistados se aqueles que já consomem seu produto se mostram satisfeitos. Toda a equipe deve estar dedicada à missão de deixar o consumidor satisfeito, oferecendo o melhor atendimento.

5. Ambiente organizacional

O que era um diferencial virou necessidade. Investir na capacitação dos funcionários e na melhoria do ambiente organizacional é essencial. Isso aumenta a produtividade e a qualidade do serviço realizado pela equipe, o que impacta diretamente no aumento das vendas do negócio.

Fonte: revistapegn.globo.com/


Site desenvolvido pela TBrWeb (XHTML / CSS)
Visitas ao site: 53437
Leal Contábil e Consultoria  |  Fone 98. 3312 6092  Avenida Colares Moreira, Quadra 28, Lote 07
Edifício Vinicius de Moraes, sala 901 | Bairro Calhau | CEP: 65.071-322 | São Luís - Maranhão