Como controlar seu dinheiro e vencer a crise

Cotações e Índices

Moedas - 18/11/2019 08:35:30
  • Nome
  • Compra
  • Venda
  • Comercial
  • 3,126
  • 3,126
  • Paralelo
  • 4,150
  • 4,390
  • Turismo
  • 3,620
  • 3,840
  • Euro
  • 3,514
  • 3,518
  • Iene
  • 0,034
  • 0,034
  • Franco
  • 3,767
  • 3,770
  • Libra
  • 4,786
  • 4,792
  • Ouro
  • 197,660
  •  
Mensal - 23/09/2019
  • Índices
  • Jul
  • Ago
  • Inpc/Ibge
  • 0,10
  • 0,12
  • Ipc/Fipe
  • 0,14
  • 0,33
  • Ipc/Fgv
  • 0,31
  • 0,17
  • Igp-m/Fgv
  • 0,40
  • -0,67
  • Igp-di/Fgv
  • -0,01
  • -0,51
  • Selic
  • 0,53
  • 0,49
  • Poupança
  • 0,50
  • 0,50
  • TJLP
  • 0,59
  • 0,59
  • TR
  • -
  • -

Obrigações Tributárias do Dia

  • 18/Novembro/2019
  • INSS | Previdência Social
O que você achou do nosso novo site?
Ótimo
Bom
Regular

Crise é a palavra do momento, e saber lidar com ela e controlar os gastos neste momento são passos importantes para ultrapassar ileso (ou quase) esta dificuldade. Em tempos assim, é natural sermos atingidos por uma sensação de que nada vai dar certo e que daqui algum tempo tudo estará ainda pior.

A falta de perspectiva e o pessimismo são, sem dúvida, péssimos companheiros. Para combater essas sensações, é importante lembrar que as crises são cíclicas (e mesmo as piores, mais cedo ou mais, acabam passando).

Quem está atento às variáveis econômicas e entende que sempre é tempo de se preparar para o futuro, independente do momento, sempre se beneficia de momentos assim. Pensando em contribuir para mudar a sua percepção em relação à crise, preparei 7 dicas fundamentais para sobreviver (e crescer) à crise.

1. Reserve o dinheiro antes de gastar

Fica muito mais difícil poupar dinheiro quando você já gastou tudo ou ainda tem compromissos financeiros por perto. Por isso, assim que você receber o seu salário, separe uma parte para sua reserva de emergência e outra para investimentos – conceito clássico de finanças conhecido como “pague-se primeiro”.

Depois que conseguir alcançar o valor necessário para sua reserva, continue utilizando a mesma tática para investir. Para tanto, reserve ao menos 10% de sua renda líquida, mas não fique preso a este número, afinal aos poucos você poderá aumentar (com o passar dos anos e sua evolução profissional).

2. Planeje seus gastos

Muitas pessoas já realizam o planejamento daquilo que vão gastar, poupando o dinheiro para o pagamento das contas principais e deixando valores menores para os gastos triviais. Tente fazer essa perspectiva de gastos de forma mais constante e planejada, sabendo quanto exatamente gastará e quanto poderá investir para seu futuro.

Você deve reservar algumas horas do mês para trabalhar com seus números e valores. Para isso, você pode utilizar uma planilha ou outra ferramenta para controlar os gastos; o fundamental é transformar isso em um hábito.

3. Anote seus gastos

Pode parecer uma coisa boba, mas anotar os gastos é uma das melhores maneiras de economizar. Nos primeiros meses, pode ficar difícil conseguir registrar todos os gastos, mas depois de algum tempo o hábito vai “vingar” e trazer vários benefícios.

Na dica anterior, falamos sobre as ferramentas que podem ajudar você a controlar os gastos; esse item é tão importante que merece ser tratado mais uma vez, pois criar o hábito de anotar e trabalhar seu orçamento doméstico com responsabilidade é indispensável para tomar as melhores decisões de consumo – só assim você conseguirá priorizar a realização do sonhos e objetivos.

4. Planeje seus momentos de lazer

Na maioria das vezes, o cuidado com as contas de consumo até é eficiente, mas quando paramos para planejar os momentos de lazer o descontrole aparece (e vem com força total). A dica é simples: seja realista!

Se os gastos com lazer tomam um percentual importante de sua renda, é fundamental que isso fique exposto de maneira clara em seus controles. Assim, você ficará apto a tomar a melhor atitude em relação ao lazer e, inclusive quando necessário, promover os ajustes de gastos para curtir estes momentos sem deixar de fazer outras coisas importantes.

5. Cuidado com o crédito

Um outro ponto importante é o excesso de crédito que muitas pessoas utilizam, quase sempre, para poder manter o padrão de vida. Além de tomar muito crédito, algumas pessoas acabam utilizando linhas de crédito mais caras, como o cartão de crédito e cheque especial.

Aqui a regra é clara (e cara): se você precisa todo mês buscar crédito para se manter, já passou da hora de rever seu orçamento e promover cortes das despesas. Se os valores tomados representam um grave problema para o orçamento, opte por negociar com o banco um empréstimo em uma linha de crédito mais barata (como empréstimo consignado ou mesmo um empréstimo pessoal) e quite sua dívida mais cara.

6. Investir é fundamental

Existe uma diferença enorme e clara entre gastar e investir. Os investimentos trarão benefícios reais no futuro, e por isso algumas pessoas não percebem o seu real valor hoje, no presente. A desculpa de que investir é algo para pessoas com renda alta mostra a falta de conhecimento e disposição em criar um futuro mais rico e feliz.

7. Aprenda a pensar no longo prazo

Qual sonho você quer realizar? Uma viagem, comprar um carro ou uma casa? Aprenda a viver com a expectativa de conseguir benefícios melhores lá na frente. Com isso, será mais fácil investir e manter o hábito de buscar as melhores opções para ver o dinheiro crescer.

Lembre-se que o brasileiro está vivendo cada vez mais e algumas decisões importantes que são fundamentais para nosso futuro precisam ser tomadas hoje, agora! Quem cuida ainda jovem com carinho da aposentadoria precisará de aportes menores e terá à sua disposição uma série de investimentos, mesclando com melhores resultados produtos de renda fixa e variável.

Fonte: dinheirama.com


Site desenvolvido pela TBrWeb (XHTML / CSS)
Visitas ao site: 60988
Leal Contábil e Consultoria  |  Fone 98. 3312 6092  Avenida Colares Moreira, Quadra 28, Lote 07
Edifício Vinicius de Moraes, sala 901 | Bairro Calhau | CEP: 65.071-322 | São Luís - Maranhão