Impostômetro chega amanhã a R$ 1,4 trilhão

Cotações e Índices

Moedas - 21/11/2019 17:11:50
  • Nome
  • Compra
  • Venda
  • Comercial
  • 4,203
  • 4,204
  • Paralelo
  • 4,160
  • 4,400
  • Turismo
  • 4,150
  • 4,410
  • Euro
  • 4,645
  • 4,649
  • Iene
  • 0,034
  • 0,034
  • Franco
  • 3,767
  • 3,770
  • Libra
  • 4,786
  • 4,792
  • Ouro
  • 198,420
  •  
Mensal - 23/09/2019
  • Índices
  • Jul
  • Ago
  • Inpc/Ibge
  • 0,10
  • 0,12
  • Ipc/Fipe
  • 0,14
  • 0,33
  • Ipc/Fgv
  • 0,31
  • 0,17
  • Igp-m/Fgv
  • 0,40
  • -0,67
  • Igp-di/Fgv
  • -0,01
  • -0,51
  • Selic
  • 0,53
  • 0,49
  • Poupança
  • 0,50
  • 0,50
  • TJLP
  • 0,59
  • 0,59
  • TR
  • -
  • -

Obrigações Tributárias do Dia

  • 22/Novembro/2019
  • DCTF Mensal | Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais.
O que você achou do nosso novo site?
Ótimo
Bom
Regular

O Impostômetro da Associação Comercial de São Paulo (ACSP) alcançará a marca de R$ 1,4 trilhão às 17 horas desta sexta-feira (16/9). 

Em 2015, esse mesmo montante foi arrecadado cinco dias antes, em 11/9. O valor representa o total de tributos (taxas, contribuições e impostos) pagos pela população desde o início do ano.

Para Alencar Burti, presidente da ACSP e da Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp), o atraso da marca em 2016 decorre da crise, que faz diminuir o montante arrecadado.

“O Impostômetro aponta que a arrecadação nominal de tributos continua em queda. A confiança do brasileiro parou de piorar, mas ainda está muito baixa, por causa da situação presente, de recessão", afirma Burti."Enquanto o consumidor não sentir melhora do momento atual, não irá às compras – mesmo que acredite que a situação vai melhorar em algum momento. E, como nosso sistema tributário recai bastante sobre o consumo, a arrecadação naturalmente cai.”

Ele complementa que, apesar do recuo da arrecadação, o montante pago ao governo continua alto e gera pouco retorno para a população. 

O presidente da ACSP e da Facesp chama atenção para o papel do Congresso na retomada do crescimento da economia e, em consequência, na melhora da arrecadação. “Passado o impeachment, o Legislativo precisa apoiar e debater as medidas do Executivo referentes ao controle dos gastos públicos, o mais rapidamente possível”, afirma. 

Fonte: dcomercio.com.br - 15 de Setembro de 2016


Site desenvolvido pela TBrWeb (XHTML / CSS)
Visitas ao site: 61052
Leal Contábil e Consultoria  |  Fone 98. 3312 6092  Avenida Colares Moreira, Quadra 28, Lote 07
Edifício Vinicius de Moraes, sala 901 | Bairro Calhau | CEP: 65.071-322 | São Luís - Maranhão