Só 10,3% dos brasileiros vão comprar presentes com parcela do 13º salário

Cotações e Índices

Moedas - 07/04/2020 08:12:00
  • Nome
  • Compra
  • Venda
  • Comercial
  • 5,286
  • 5,287
  • Paralelo
  • 4,530
  • 5,300
  • Turismo
  • 5,270
  • 5,590
  • Euro
  • 5,750
  • 5,752
  • Iene
  • 0,048
  • 0,048
  • Franco
  • 5,432
  • 5,434
  • Libra
  • 6,503
  • 6,505
  • Ouro
  • 277,590
  •  
Mensal - 04/03/2020
  • Índices
  • Jan/20
  • Dez/19
  • Inpc/Ibge
  • 0,19
  • 1,22
  • Ipc/Fipe
  • 0,29
  • 0,94
  • Ipc/Fgv
  • 0,59
  • 0,77
  • Igp-m/Fgv
  • 0,48
  • 2,09
  • Igp-di/Fgv
  • 0,09
  • 1,74
  • Selic
  • 0,38
  • 0,37
  • Poupança
  • 0,05
  • 0,05
  • TJLP
  • 5,09
  • 5,57
  • TR
  • -
  • -

Obrigações Tributárias do Dia

  • 09/Abril/2020 – 5ª Feira.
  • ICMS | Substituição tributária.
O que você achou do nosso novo site?
Ótimo
Bom
Regular

Pesquisa da Associação Comercial de São Paulo (ACSP) revela que 10,3% dos brasileiros pretendem usar a segunda parcela do 13º salário para comprar presentes neste fim de ano.

É a menor intenção de compra desde 2009, quando o levantamento começou a ser feito. No ano passado, esse contingente de consumidores era de 14,6%. Em 2014 foi de 21,4%.

Foi em 2013 que se chegou ao melhor resultado já apontado: 30,4% dos entrevistados disseram que destinariam o dinheiro extra para presentes.

O resultado é desfavorável para o varejo, mas os indecisos podem ajudar a melhorar o quadro - eles são 17,9%, o que representa aumento em relação ao ano passado (14,6%).

“Isso é uma oportunidade para as vendas. As lojas precisam investir nas promoções e na criatividade para atrair esse consumidor que não sabe o que vai fazer com o dinheiro”, diz Alencar Burti, presidente da ACSP e da Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp).

A pesquisa foi feita pelo Instituto Ipsos entre os dias 1º e 13 de novembro em todas as regiões brasileiras. Ela registra, ainda, que 35,9% dos brasileiros usarão a segunda parcela do 13º salário para pagar dívidas, contra 33,3% no ano passado. Já 30,8% pretendem guardar o dinheiro (27,1% em 2015).  

“Essas parcelas consideráveis que vão quitar débitos e poupar são sintoma da baixa confiança do consumidor e justificam as projeções negativas para as vendas de fim de ano”, afirma Burti.
Os que usarão o benefício para viajar somam 5,1% (6,3% no ano passado). Por fim, os entrevistados que pretendem reformar a casa e comprar roupas e alimentos para as festas de fim de ano somaram 2,6%, em ambos os casos.

A pesquisa foi feita com base em entrevistas pessoais e domiciliares em todas as regiões brasileiras, com base em amostra probabilística e representativa da população brasileira de áreas urbanas de acordo com dados oficiais do IBGE (Censo 2010 e PNAD 2014). A margem de erro é de aproximadamente três pontos percentuais.

Fonte: dcomercio.com.br


Site desenvolvido pela TBrWeb (XHTML / CSS)
Visitas ao site: 65100
Leal Contábil e Consultoria  |  Fone 98. 3312 6092  Avenida Colares Moreira, Quadra 28, Lote 07
Edifício Vinicius de Moraes, sala 901 | Bairro Calhau | CEP: 65.071-322 | São Luís - Maranhão