Feriados devem custar R$ 10 bilhões ao varejo, estima Fecomercio/SP

Cotações e Índices

Moedas - 23/01/2019 14:00:22
  • Nome
  • Compra
  • Venda
  • Comercial
  • 3,804
  • 3,805
  • Paralelo
  • 3,770
  • 3,970
  • Turismo
  • 3,650
  • 3,960
  • Euro
  • 4,330
  • 4,331
  • Iene
  • 0,035
  • 0,035
  • Franco
  • 3,819
  • 3,819
  • Libra
  • 4,969
  • 4,972
  • Ouro
  • 155,000
  •  
Mensal - 06/12/2018
  • Índices
  • Set
  • Out
  • Inpc/Ibge
  • 0,21
  • 0,40
  • Ipc/Fipe
  • 0,39
  • 0,48
  • Ipc/Fgv
  • 0,34
  • 0,48
  • Igp-m/Fgv
  • 1,52
  • 0,89
  • Igp-di/Fgv
  • -
  • 0,26
  • Selic
  • 0,47
  • 0,54
  • Poupança
  • 0,50
  • 0,50
  • TJLP
  • 0,55
  • 0,55
  • TR
  • -
  • -

Obrigações Tributárias do Dia

  • 23/Janeiro/2019 – 4ª Feira.
  • IOF | Imposto sobre Operações Financeiras.
  • IRRF | Imposto de Renda Retido na Fonte.
O que você achou do nosso novo site?
Ótimo
Bom
Regular

Os feriados nacionais de 2017, alguns dos quais serão estendidos aos fins de semana, devem custar cerca de R$ 10,5 bilhões ao varejo brasileiro, segundo uma estimativa da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (Fecomercio/SP). O setor de vestuário, tecidos e calçados deve arcar com quase R$ 1,1 bilhão em perdas, 23% a mais do que em 2016.

A portaria oficial que define os feriados de 2017 foi publicada no dia 30 de novembro. Ao todo, serão nove feriados nacionais e cinco pontos facultativos, um deles caindo em um sábado. Quatro dos feriados vão cair em dias próximos a fins de semana, o que deve arrefecer o movimento no comércio. Não foram contabilizados para o levantamento os feriados estaduais e municipais.

O montante estimado pela Fecomercio/SP é 2% superior ao estimado em 2016. O único segmento com variação negativa – ou seja, perderá menos em relação ao ano anterior – é o de "outras atividades", que inclui desde o comércio de combustíveis, joias e relógios até artigos de papelaria, dentre outros. O prejuízo nesse grupo deverá ser de R$ 3,9 bilhões, 8% a menos do que no ano passado.

Já os setores ligados aos bens essenciais devem participar com pouco menos que 45% do total da perda no próximo ano. Segundo as estimativas da Federação, o segmento de Supermercados deve registrar prejuízos perto de R$ 3 bilhões, 2% acima do calculado para 2016, enquanto o de farmácias e perfumarias, por sua vez, tende a registrar perda de R$ 1,6 bilhão, 7% superior a 2016.

Encargos

Para os estabelecimentos que quiserem apostar na movimentação durante o feriado, a entidade recomenda que os gastos e expectativas de lucro sejam cuidadosamente previstos. Os custos adicionais envolvem 100% no valor diário dos funcionários e outros 37% de encargos trabalhistas.

Fonte: administradores.com.br


Site desenvolvido pela TBrWeb (XHTML / CSS)
Visitas ao site: 51777
Leal Contábil e Consultoria  |  Fone 98. 3312 6092  Avenida Colares Moreira, Quadra 28, Lote 07
Edifício Vinicius de Moraes, sala 901 | Bairro Calhau | CEP: 65.071-322 | São Luís - Maranhão