IR 2017: Como voltar a declarar depois de anos como isento?

Cotações e Índices

Moedas - 26/03/2019 09:45:51
  • Nome
  • Compra
  • Venda
  • Comercial
  • 3,857
  • 3,859
  • Paralelo
  • 3,850
  • 4,060
  • Turismo
  • 3,700
  • 4,010
  • Euro
  • 4,347
  • 4,351
  • Iene
  • 0,035
  • 0,035
  • Franco
  • 3,879
  • 3,880
  • Libra
  • 5,106
  • 5,109
  • Ouro
  • 163,280
  •  
Mensal - 14/02/2019
  • Índices
  • Dez
  • Jan
  • Inpc/Ibge
  • 0,14
  • 0,36
  • Ipc/Fipe
  • 0,09
  • 0,58
  • Ipc/Fgv
  • 0,21
  • 0,57
  • Igp-m/Fgv
  • -0,49
  • 0,01
  • Igp-di/Fgv
  • -0,45
  • 0,07
  • Selic
  • 0,49
  • 0,54
  • Poupança
  • 0,50
  • 0,50
  • TJLP
  • 0,56
  • -
  • TR
  • -
  • -

Obrigações Tributárias do Dia

  • 29/Março/2019
  • IOF | Imposto sobre Operações Financeiras.
  • COFINS/PIS-PASEP | Retenção na Fonte – Autopeças
  • IRPJ/CSL | Imposto de Renda Pessoa Jurídica e da Contribuição Social sobre o Lucro | Apuração mensal.
  • IRPJ/CSL | Imposto de Renda Pessoa Jurídica e da Contribuição Social sobre o Lucro | Apuração trimestral
  • IRPJ/CSL - Lucro real anual - Saldo de 2018
  • IRPJ | Imposto de Renda Pessoa Jurídica | Renda variável
  • IRPJ/Simples Nacional | Ganho de Capital na alienação de Ativos
  • IRPF | Imposto de Renda Pessoa Física
  • FINOR/FINAM/FUNRES | Apuração mensal
  • FINOR/FINAM/FUNRES | Apuração trimestral
  • REFIS/PAES | Programa de Recuperação Fiscal
  • REFIS | Programa de Recuperação Fiscal
  • PAEX 1 | Parcelamento Excepcional
  • PAEX 2 | Parcelamento Excepcional
  • Simples Nacional | Parcelamento Especial
  • INSS | Previdência Social | Simples Nacional | Parcelamento Especial
  • Previdência Social (INSS) | Programa de Modernização da Gestão e de Responsabilidade Fiscal do Futebol Brasileiro | Profut || Parcelamento de débitos junto à RFB e à PGFN
  • Previdência Social (INSS) | Programa de Recuperação Previdenciária dos Empregadores Domésticos - Redom (Parcelamento de débitos em nome do empregado e do empregador domésticos junto à PGFN e à RFB)
  • DOI | Declaração de Operações Imobiliárias
  • DME | Declaração de Operações Liquidadas com Moeda em Espécie
  • Declaração de Benefícios Fiscais (DBF)
  • Informações prestadas pelas entidades de previdência complementar, sociedades seguradoras e administradoras de Fapi
  • Declaração de Rendimentos Pagos a Consultores por Organismos Internacionais (Derc)
  • Declaração de Transferência de Titularidade de Ações (DTTA)
O que você achou do nosso novo site?
Ótimo
Bom
Regular

Pergunta do leitor: Sou aposentado pelo INSS  e durante os exercícios de 2012, 2013, 2014, 2015 e 2016 estive isento de declarar o Imposto de Renda, pois estava abaixo dos limite tributável. Nesse período, porém, houve mudanças em meu patrimônio.

Em 2017, sou obrigado a fazer a declaração do IRPF, pois meus rendimentos tributáveis ultrapassaram os R$ 28.559,70.

No item de “Bens e Direitos”,  na coluna “ano anterior”, qual o valor que terei que declarar? Seria o valor constante da declaração de 2011 ou a coluna ficaria em branco?

Resposta de Renata Borowski Gonçalves Batista*:

Os bens ou direitos que já faziam parte do seu patrimônio em 31/12/2015 devem ser informados em “Situação em 31/12/2015” pelo seu custo de aquisição (bens móveis e imóveis) ou valor do saldo nessa data (contas bancárias, poupanças, aplicações, por exemplo), de forma idêntica a constante no informe de rendimentos disponibilizado pela instituição financeira.

Especificamente no caso de bens imóveis (casa, apartamento, terreno e afins) adquiridos antes de 2011, o valor permanecerá o mesmo, exceto se caso tenha sido realizada construção, ampliação e reforma, com projeto aprovado pelos órgãos municipais competentes, ou que tenham ocorrido pequenas obras, tais como pintura, reparos em azulejos, encanamentos, pisos, paredes. Neste caso, tais valores devem ser acrescidos ao custo de aquisição do bem, para informação em “Situação em 31/12/2015”.

Por fim, o valor dos bens e direitos adquiridos no decorrer do ano-calendário de 2016 deve permanecer zero no campo “Situação em 31/12/2015” e, em “Situação em 31/12/2016”, deve ser o custo de aquisição ou saldo nesta data.

*Renata Borowski Gonçalves Batista é consultora tributária sênior da Thomson Reuters no Brasil. Ela é formada em Direito pela Universidade Santa Cecília (UNISANTA), além de ter diversos cursos complementares sobre tributos em seu currículo. Com uma carreira de 12 anos na área como consultora jurídica sobre assuntos tributários, contábeis, PIS/PASEP, COFINS e societário, também acumula experiência em planejamento tributário e contencioso administrativo tributário. Atualmente, trabalha diretamente com obrigações tributárias (principais e acessórias) federais, tributos diretos; direito societário; contabilidade.

Fonte: exame.abril.com.br


Site desenvolvido pela TBrWeb (XHTML / CSS)
Visitas ao site: 53416
Leal Contábil e Consultoria  |  Fone 98. 3312 6092  Avenida Colares Moreira, Quadra 28, Lote 07
Edifício Vinicius de Moraes, sala 901 | Bairro Calhau | CEP: 65.071-322 | São Luís - Maranhão