Economia deve crescer de cerca de 0,7% no primeiro trimestre, estima Meirelles

Cotações e Índices

Moedas - 19/11/2019 13:11:20
  • Nome
  • Compra
  • Venda
  • Comercial
  • 4,213
  • 4,215
  • Paralelo
  • 4,150
  • 4,380
  • Turismo
  • 4,190
  • 4,440
  • Euro
  • 3,514
  • 3,518
  • Iene
  • 0,034
  • 0,034
  • Franco
  • 3,767
  • 3,770
  • Libra
  • 4,786
  • 4,792
  • Ouro
  • 198,010
  •  
Mensal - 23/09/2019
  • Índices
  • Jul
  • Ago
  • Inpc/Ibge
  • 0,10
  • 0,12
  • Ipc/Fipe
  • 0,14
  • 0,33
  • Ipc/Fgv
  • 0,31
  • 0,17
  • Igp-m/Fgv
  • 0,40
  • -0,67
  • Igp-di/Fgv
  • -0,01
  • -0,51
  • Selic
  • 0,53
  • 0,49
  • Poupança
  • 0,50
  • 0,50
  • TJLP
  • 0,59
  • 0,59
  • TR
  • -
  • -

Obrigações Tributárias do Dia

  • 22/Novembro/2019
  • DCTF Mensal | Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais.
O que você achou do nosso novo site?
Ótimo
Bom
Regular

Se a projeção se confirmar, o País terá saído de uma recessão que se arrastou por 2 anos

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, afirmou nesta segunda-feira (29) que o PIB (Produto Interno Bruto) — soma de todos os bens e serviços produzidos no País — do primeiro trimestre deve mostrar crescimento de cerca de 0,7% ante os três últimos meses de 2016.

O PIB do primeiro trimestre será divulgado pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) na quinta-feira (31). De acordo com o ministro, na comparação com o primeiro trimestre do ano passado, o crescimento deve ficar entre 2,5% e 3%. Se a projeção de Meirelles se confirmar, a economia brasileira terá saído de uma recessão que se arrastou por dois anos.

Os analistas consultados pelo Banco Central, segundo o relatório Focus, estimam que a economia brasileira deve crescer 0,49% este ano e 2,48% no ano que vem.

Em conversa com jornalistas estrangeiros, o ministro também afirmou que não existe um plano B para aprovar a reforma da Previdência por decreto.

A reforma da Previdência é fundamental para colocar as contas públicas em ordem. A aprovação da medida, no entanto, deve atrasar no Congresso por causa da crise política que atinge em cheio o governo Michel Temer.

Segundo o ministro, do ponto de vista fiscal, não importa muito se a reforma da Previdência for aprovada neste ano ou no próximo.

fonte: noticiasR7.com


Site desenvolvido pela TBrWeb (XHTML / CSS)
Visitas ao site: 61028
Leal Contábil e Consultoria  |  Fone 98. 3312 6092  Avenida Colares Moreira, Quadra 28, Lote 07
Edifício Vinicius de Moraes, sala 901 | Bairro Calhau | CEP: 65.071-322 | São Luís - Maranhão