Número de novas empresas cresce 5,1% no 3º tri

Cotações e Índices

Moedas - 17/05/2019 13:19:21
  • Nome
  • Compra
  • Venda
  • Comercial
  • 4,098
  • 4,099
  • Paralelo
  • 4,040
  • 4,270
  • Turismo
  • 3,930
  • 4,260
  • Euro
  • 4,575
  • 4,578
  • Iene
  • 0,037
  • 0,037
  • Franco
  • 4,055
  • 4,056
  • Libra
  • 4,098
  • 5,218
  • Ouro
  • 165,310
  •  
Mensal - 06/05/2019
  • Índices
  • Fev
  • Mar
  • Inpc/Ibge
  • 0,54
  • 0,77
  • Ipc/Fipe
  • 0,54
  • 0,51
  • Ipc/Fgv
  • 0,35
  • 0,65
  • Igp-m/Fgv
  • 0,88
  • 1,26
  • Igp-di/Fgv
  • 1,25
  • 1,07
  • Selic
  • 0,49
  • 0,47
  • Poupança
  • 0,50
  • 0,50
  • TJLP
  • 0,59
  • 0,59
  • TR
  • -
  • -

Obrigações Tributárias do Dia

  • 20/maio/2019
  • IRRF | Imposto de Renda Retido na Fonte
  • Cofins/CSL/PIS-Pasep | Retenção na Fonte
  • COFINS/PIS-Pasep | Entidades financeiras
  • INSS | Previdência Social
  • EFD - Contribuintes do IPI | Pernambuco e Distrito Federal
  • Simples Nacional
  • IRPJ/CSL/PIS/COFINS | Incorporações imobiliárias | Regime Especial de Tributação – PMCMV
  • IRPJ/CSL/PIS/COFINS | Incorporações imobiliárias | Regime Especial de Tributação - RET
  • Previdência Social (INSS) | Parcelamento excepcional de débitos de Pessoas Jurídicas
  • Parcelamento especial da Contribuição Social do salário-educação
  • Previdência Social (INSS) | Parcelamento Especial de Débitos - PAES
O que você achou do nosso novo site?
Ótimo
Bom
Regular

O tipo de empresa que mais cresce é a do microempreendedor individual

O número de novas empresas registradas no Brasil cresceu 5,1% no terceiro trimestre ante o segundo trimestre, informou a Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito), em levantamento feito a partir de dados da Receita Federal.

No acumulado do ano até setembro, os registros avançaram 8,2% em relação a igual intervalo do ano passado.

O tipo de empresa que mais cresce é a do microempreendedor individual, conhecido pela sigla MEI, com expansão de 13,2% no acumulado do ano.

As chamadas microempresas (ME) tiveram aumento de 2,8%. Os demais segmentos, que somam as empresas de médio e grande porte, tiveram, juntos, queda de 19,1%.

O levantamento mostrou também que o setor de serviços ganhou representatividade, passando de 55,7% no acumulado do 2º trimestre para atuais 55,9%.

O comércio, por sua vez, ficou estável em 34,7%. A indústria caiu de 8,6% para 8,1%, enquanto o agronegócio cresceu de 1,1% para 1,3%.

As regiões Centro-Oeste e Norte foram as que mais avançaram no número de novas empresas, no acumulado do ano, com altas de 12,4% e 11,3%, respectivamente. As demais regiões tiveram avanços mais tímidos: Sul (10,8%), Sudeste (7,4%) e Nordeste (4,8%).

fonte: fenacon.org


Site desenvolvido pela TBrWeb (XHTML / CSS)
Visitas ao site: 55362
Leal Contábil e Consultoria  |  Fone 98. 3312 6092  Avenida Colares Moreira, Quadra 28, Lote 07
Edifício Vinicius de Moraes, sala 901 | Bairro Calhau | CEP: 65.071-322 | São Luís - Maranhão