Brasil bate recorde com 1,5 mi de novos MEIs até outubro

Cotações e Índices

Moedas - 24/05/2019 13:15:31
  • Nome
  • Compra
  • Venda
  • Comercial
  • 4,026
  • 4,028
  • Paralelo
  • 4,020
  • 4,210
  • Turismo
  • 3,870
  • 4,190
  • Euro
  • 4,509
  • 4,511
  • Iene
  • 0,037
  • 0,037
  • Franco
  • 4,020
  • 4,020
  • Libra
  • 5,114
  • 5,117
  • Ouro
  • 166,100
  •  
Mensal - 06/05/2019
  • Índices
  • Fev
  • Mar
  • Inpc/Ibge
  • 0,54
  • 0,77
  • Ipc/Fipe
  • 0,54
  • 0,51
  • Ipc/Fgv
  • 0,35
  • 0,65
  • Igp-m/Fgv
  • 0,88
  • 1,26
  • Igp-di/Fgv
  • 1,25
  • 1,07
  • Selic
  • 0,49
  • 0,47
  • Poupança
  • 0,50
  • 0,50
  • TJLP
  • 0,59
  • 0,59
  • TR
  • -
  • -

Obrigações Tributárias do Dia

  • 31/Maio/2019
  • IOF | Imposto sobre Operações Financeiras
  • COFINS/PIS-PASEP | Retenção na Fonte – Autopeças
  • IRPJ/CSL | Imposto de Renda Pessoa Jurídica e da Contribuição Social sobre o Lucro | Apuração mensal
  • IRPJ/CSL | Imposto de Renda Pessoa Jurídica e da Contribuição Social sobre o Lucro | Apuração trimestral
  • IRPJ | Imposto de Renda Pessoa Jurídica | Renda variável
  • IRPJ/Simples Nacional | Ganho de Capital na alienação de Ativos
  • IRPF | Imposto de Renda Pessoa Física
  • FINOR/FINAM/FUNRES | Apuração mensal
  • FINOR/FINAM/FUNRES | Apuração trimestral
  • REFIS/PAES | Programa de Recuperação Fiscal
  • REFIS | Programa de Recuperação Fiscal
  • PAEX 1 | Parcelamento Excepcional
  • PAEX 2 | Parcelamento Excepcional
  • Simples Nacional | Parcelamento Especial
  • INSS | Previdência Social | Simples Nacional | Parcelamento Especial
  • Previdência Social (INSS) | Programa de Modernização da Gestão e de Responsabilidade Fiscal do Futebol Brasileiro | Profut || Parcelamento de débitos junto à RFB e à PGFN
  • Previdência Social (INSS) | Programa de Recuperação Previdenciária dos Empregadores Domésticos - Redom (Parcelamento de débitos em nome do empregado e do empregador domésticos junto à PGFN e à RFB)
  • DOI | Declaração de Operações Imobiliárias
  • DME | Declaração de Operações Liquidadas com Moeda em Espécie
  • IRPF - Imposto de Renda sobre a Pessoa Física
  • Contribuição Sindical (empregados)
  • Escrituração Contábil Digital (ECD)
  • Salário-família | Comprovante de frequência à escola
  • Declaração Anual do Simples Nacional (DASN-Simei/2018)
O que você achou do nosso novo site?
Ótimo
Bom
Regular

O setor de serviços continuou liderando o ranking

A criação de novos microempreendimentos individuais ( MEIs ) no Brasil até outubro deste ano bateu recorde. Segundo o Indicador Serasa Experian de Nascimentos de Empresas, 1.502.010 empresas foram criadas no País entre janeiro e outubro. O resultado indica um crescimento de 11,7% em relação ao mesmo período do ano passado e representa 78,6% do total de empresas abertas no período.

Ainda de acordo com a  Serasa Experian , a criação de empresas em outubro também teve resultado expressivo, com 181.681 novos registros, o maior número para meses de outubro desde o início da série histórica em 2010. Em relação às MEIs, foram 142.642 contra 124.010 nascimentos registrados em outubro de 2016, o equivalente a uma alta de 15,8%. 

Entre outubro de 2012 e outubro de 2015, a participação das MEIs cresceu, contribuindo para o aumento no número total de novas empresas no Brasil. Em outubro deste ano, a participação dos microempreendimentos individuais em relação ao total de empresas foi a maior de todos os meses de outubro.

Para os economistas da Serasa, apesar de um início de recuperação do mercado formal de trabalho, a criação das MEIs permanece grande na economia. Um fator que contribui para esse desempenho é a reação da economia, que abre oportunidade para novos negócios e estimula a procura por novas fontes de renda no empreendedorismo. Em outubro de 2017, as Sociedades Limitadas registraram a criação de 15.405 unidades. Ao mesmo tempo, surgiram 12.334 Empresas Individuais e 10.300 empresas de outras naturezas jurídicas.

Setores 

O setor de serviços continuou liderando o ranking dos mais procurados pelos que decidiram criar um novo negócio. Das empresas abertas em outubro, 114.891 se enquadravam nesse setor, número equivalente a 63,2% do total. Em seguida, estão 52.011 empresas do comércio e 14.226 do setor industrial.
Nos últimos sete anos houve um crescimento contínuo na participação das empresas de serviços no total de empresas que nascem no Brasil, passando de 53,4% em outubro de 2010 para 63,2% em outubro deste ano. Em contrapartida, observou-se uma queda na participação do setor comercial, indo de 35,4%, em outubro de 2010, para 28,6% em outubro de 2017.

Região e estado

No período, a maioria das novas empresas nasceu no Sudeste, com 95.346 novos negócios abertos. Em seguida, estão as regiões Sul, com 32.125 novas empresas; Nordeste, com 30.564 novas entidades; Centro-Oeste, com 15.361 empresas abertas; e Norte, com 8.285 novos empreendimentos. A região Centro-Oeste foi a que apresentou o maior aumento no número de novas empresas, com 18,4%, frente a outubro de 2016.
O Nordeste teve crescimento de 17,1% no número de novos negócios; a região Sul avançou 13,4%; o Sudeste teve alta de 12%; e o Norte teve crescimento de 11,6%. Entre os estados,  São Paulo correspondeu por 28,3% dos novos empreendimentos, totalizando 51.486 empresas abertas, segundo o estudo da Serasa Experian. Em seguida, estão Rio de Janeiro, com 19.798 empresas criadas, e Minas Gerais, com 19.723 novos registros.

fonte: fenacon.org.br


Site desenvolvido pela TBrWeb (XHTML / CSS)
Visitas ao site: 55715
Leal Contábil e Consultoria  |  Fone 98. 3312 6092  Avenida Colares Moreira, Quadra 28, Lote 07
Edifício Vinicius de Moraes, sala 901 | Bairro Calhau | CEP: 65.071-322 | São Luís - Maranhão