Imposto de Renda 2018: veja vantagens e desvantagens de deixar para entregar a declaração na última hora

Cotações e Índices

Moedas - 26/03/2019 09:45:51
  • Nome
  • Compra
  • Venda
  • Comercial
  • 3,857
  • 3,859
  • Paralelo
  • 3,850
  • 4,060
  • Turismo
  • 3,700
  • 4,010
  • Euro
  • 4,347
  • 4,351
  • Iene
  • 0,035
  • 0,035
  • Franco
  • 3,879
  • 3,880
  • Libra
  • 5,106
  • 5,109
  • Ouro
  • 163,280
  •  
Mensal - 14/02/2019
  • Índices
  • Dez
  • Jan
  • Inpc/Ibge
  • 0,14
  • 0,36
  • Ipc/Fipe
  • 0,09
  • 0,58
  • Ipc/Fgv
  • 0,21
  • 0,57
  • Igp-m/Fgv
  • -0,49
  • 0,01
  • Igp-di/Fgv
  • -0,45
  • 0,07
  • Selic
  • 0,49
  • 0,54
  • Poupança
  • 0,50
  • 0,50
  • TJLP
  • 0,56
  • -
  • TR
  • -
  • -

Obrigações Tributárias do Dia

  • 29/Março/2019
  • IOF | Imposto sobre Operações Financeiras.
  • COFINS/PIS-PASEP | Retenção na Fonte – Autopeças
  • IRPJ/CSL | Imposto de Renda Pessoa Jurídica e da Contribuição Social sobre o Lucro | Apuração mensal.
  • IRPJ/CSL | Imposto de Renda Pessoa Jurídica e da Contribuição Social sobre o Lucro | Apuração trimestral
  • IRPJ/CSL - Lucro real anual - Saldo de 2018
  • IRPJ | Imposto de Renda Pessoa Jurídica | Renda variável
  • IRPJ/Simples Nacional | Ganho de Capital na alienação de Ativos
  • IRPF | Imposto de Renda Pessoa Física
  • FINOR/FINAM/FUNRES | Apuração mensal
  • FINOR/FINAM/FUNRES | Apuração trimestral
  • REFIS/PAES | Programa de Recuperação Fiscal
  • REFIS | Programa de Recuperação Fiscal
  • PAEX 1 | Parcelamento Excepcional
  • PAEX 2 | Parcelamento Excepcional
  • Simples Nacional | Parcelamento Especial
  • INSS | Previdência Social | Simples Nacional | Parcelamento Especial
  • Previdência Social (INSS) | Programa de Modernização da Gestão e de Responsabilidade Fiscal do Futebol Brasileiro | Profut || Parcelamento de débitos junto à RFB e à PGFN
  • Previdência Social (INSS) | Programa de Recuperação Previdenciária dos Empregadores Domésticos - Redom (Parcelamento de débitos em nome do empregado e do empregador domésticos junto à PGFN e à RFB)
  • DOI | Declaração de Operações Imobiliárias
  • DME | Declaração de Operações Liquidadas com Moeda em Espécie
  • Declaração de Benefícios Fiscais (DBF)
  • Informações prestadas pelas entidades de previdência complementar, sociedades seguradoras e administradoras de Fapi
  • Declaração de Rendimentos Pagos a Consultores por Organismos Internacionais (Derc)
  • Declaração de Transferência de Titularidade de Ações (DTTA)
O que você achou do nosso novo site?
Ótimo
Bom
Regular

Apesar de não ser recomendado deixar para a última hora a entrega da declaração do Imposto de Renda, há casos em que é vantagem enviar nos últimos dias. O prazo de entrega se estende até 30 de abril.

Quem entrega na última hora provavelmente recebe a restituição apenas nos últimos lotes. É que a Receita Federal analisa as declarações por ordem de chegada. As restituições serão pagas entre junho a dezembro. Ao todo, serão 7 lotes. O pagamento do primeiro será feito no dia 15 de junho, e o último, dia 17 de dezembro.

Correção pela Selic
Os valores das restituições do Imposto de Renda são corrigidos pela variação dos juros básicos da economia, atualmente em 6,5% ao ano. A previsão do mercado é que a taxa de juros feche 2018 em 6,25% ao ano.

Assim, os contribuintes que receberem nos últimos lotes terão seus valores a restituir atualizados pela taxa de juros básicos Selic acumulada até o mês da restituição.

Mas, diferentemente de outros anos, quando havia a expectativa de elevação dos juros ao longo do ano, deixar para fazer a declaração nos últimos dias para receber nos últimos lotes não trará a mesma vantagem. Ainda assim, a correção do dinheiro pela taxa Selic é maior que da poupança e do CDB, por exemplo.

De acordo com Max Scatimburgo, consultor da Atlas Invest, o contribuinte que recebe a restituição no último lote do imposto de renda poderá obter um rendimento de aproximadamente 4,19%, levando em conta a correção pela taxa Selic. Em comparação com a poupança, que apresentaria rendimento médio de 2,88% no período, a rentabilidade seria 30% maior. Se comparado com outras aplicações em renda fixa (rendimento de 3,51% no CDB com retorno de 85% do CDI – média do encontrado em agências bancárias), o ganho é 19% maior (veja na tabela).

Já aqueles que recebem nos primeiros lotes têm a vantagem de fazer aplicações financeiras com rentabilidade acima da Selic, como Tesouro Direto, ações, fundos imobiliários e fundos multimercados de diferentes níveis de risco, segundo Scatimburgo.

Coleta de documentos
Outro caso em que é vantajoso é se o contribuinte ainda não está de posse de todos os documentos necessários, segundo Richard Domingos, diretor executivo da Confirp Consultoria Contabil. “Contudo, nesses casos, é fundamental buscar essa documentação o mais rápido possível, pois em caso de não localizar, poderá ter que enviar a declaração incompleta, tendo que retificar posteriormente”, alerta.

Imposto a pagar
Para Leonardo Milanez Villela, advogado tributarista e sócio da Correia da Silva Advogados, deixar a entrega para a última hora não apresenta vantagens para quem apura saldo de imposto a pagar. O prazo de vencimento da primeira parcela é 30 de abril e não se altera pela data de entrega da declaração do contribuinte, explica.

Segundo o advogado tributarista, o que pode se apresentar como vantajoso no atual patamar da Selic é a opção de parcelar, em até oito meses, o saldo de imposto a pagar apurado na declaração do imposto de renda. “A partir do vencimento da primeira parcela, o saldo de imposto em aberto sofre atualização mensal pela taxa básica de juros, enquanto que o contribuinte pode rentabilizar o seu dinheiro em patamar superior aos juros da Selic”, diz.

Domingos afirma que não é vantagem deixar para a última hora quando o contribuinte possui valores a serem restituídos e necessita do dinheiro para pagar contas ou para ajustar a vida financeira. “Nesse caso, o mais interessante é que se entregue o quanto antes, pois assim terá o dinheiro nos primeiros lotes e poderá utilizar para suas devidas finalidades”, diz.

Risco de cometer erros
Villela ressalta que é preciso ter atenção na hora de preencher a declaração, e deixar para a última hora pode aumentar o risco de cometer erros.

“Se forem identificadas inconsistências no cruzamento de dados com outras declarações ou mesmo com informações da própria declaração, o contribuinte pode cair na malha fina e receber a restituição apenas após prestar esclarecimentos à Receita Federal”, explica.

“É importante alertar sobre o risco que muitas pessoas correm ao utilizar linhas de antecipação da restituição do imposto de renda, pois, caso caiam na malha fina, não receberão o valor no prazo e terão que arcar com os juros cobrados pelos bancos”, comenta Domingos.

Fonte: g1.globo | 20/04/2018


Site desenvolvido pela TBrWeb (XHTML / CSS)
Visitas ao site: 53416
Leal Contábil e Consultoria  |  Fone 98. 3312 6092  Avenida Colares Moreira, Quadra 28, Lote 07
Edifício Vinicius de Moraes, sala 901 | Bairro Calhau | CEP: 65.071-322 | São Luís - Maranhão