Novo valor para compra de imóvel com FGTS deve vigorar a partir de setembro

Cotações e Índices

Moedas - 24/05/2019 13:15:31
  • Nome
  • Compra
  • Venda
  • Comercial
  • 4,026
  • 4,028
  • Paralelo
  • 4,020
  • 4,210
  • Turismo
  • 3,870
  • 4,190
  • Euro
  • 4,509
  • 4,511
  • Iene
  • 0,037
  • 0,037
  • Franco
  • 4,020
  • 4,020
  • Libra
  • 5,114
  • 5,117
  • Ouro
  • 166,100
  •  
Mensal - 06/05/2019
  • Índices
  • Fev
  • Mar
  • Inpc/Ibge
  • 0,54
  • 0,77
  • Ipc/Fipe
  • 0,54
  • 0,51
  • Ipc/Fgv
  • 0,35
  • 0,65
  • Igp-m/Fgv
  • 0,88
  • 1,26
  • Igp-di/Fgv
  • 1,25
  • 1,07
  • Selic
  • 0,49
  • 0,47
  • Poupança
  • 0,50
  • 0,50
  • TJLP
  • 0,59
  • 0,59
  • TR
  • -
  • -

Obrigações Tributárias do Dia

  • 31/Maio/2019
  • IOF | Imposto sobre Operações Financeiras
  • COFINS/PIS-PASEP | Retenção na Fonte – Autopeças
  • IRPJ/CSL | Imposto de Renda Pessoa Jurídica e da Contribuição Social sobre o Lucro | Apuração mensal
  • IRPJ/CSL | Imposto de Renda Pessoa Jurídica e da Contribuição Social sobre o Lucro | Apuração trimestral
  • IRPJ | Imposto de Renda Pessoa Jurídica | Renda variável
  • IRPJ/Simples Nacional | Ganho de Capital na alienação de Ativos
  • IRPF | Imposto de Renda Pessoa Física
  • FINOR/FINAM/FUNRES | Apuração mensal
  • FINOR/FINAM/FUNRES | Apuração trimestral
  • REFIS/PAES | Programa de Recuperação Fiscal
  • REFIS | Programa de Recuperação Fiscal
  • PAEX 1 | Parcelamento Excepcional
  • PAEX 2 | Parcelamento Excepcional
  • Simples Nacional | Parcelamento Especial
  • INSS | Previdência Social | Simples Nacional | Parcelamento Especial
  • Previdência Social (INSS) | Programa de Modernização da Gestão e de Responsabilidade Fiscal do Futebol Brasileiro | Profut || Parcelamento de débitos junto à RFB e à PGFN
  • Previdência Social (INSS) | Programa de Recuperação Previdenciária dos Empregadores Domésticos - Redom (Parcelamento de débitos em nome do empregado e do empregador domésticos junto à PGFN e à RFB)
  • DOI | Declaração de Operações Imobiliárias
  • DME | Declaração de Operações Liquidadas com Moeda em Espécie
  • IRPF - Imposto de Renda sobre a Pessoa Física
  • Contribuição Sindical (empregados)
  • Escrituração Contábil Digital (ECD)
  • Salário-família | Comprovante de frequência à escola
  • Declaração Anual do Simples Nacional (DASN-Simei/2018)
O que você achou do nosso novo site?
Ótimo
Bom
Regular

Empresários da construção civil pediram, e o presidente Michel Temer deve solicitar à sua equipe econômica que o novo valor para compra de imóvel, de R$ 1,5 milhão, com uso de recursos do FGTS comece a valer a partir de setembro. O setor foi surpreendido quando a decisão tomada pelo governo, na semana passada, foi publicada, fixando a data de entrada em vigor apenas em janeiro de 2019.

"Fomos ao presidente Michel Temer falar sobre o assunto, porque nossa expectativa era de que a medida, importante para estimular o setor, entrasse em vigor imediatamente. Aí fomos surpreendidos com a data de janeiro do ano que vem. Mas o presidente nos disse que vai pedir à sua equipe para que a decisão entre em vigor já em setembro", afirmou ao blog o presidente da Câmara da Indústria da Construção Civil, José Carlos Martins.

Na semana passada, o governo havia aprovado uma medida para estimular a construção civil. Subiu de R$ 850 mil a R$ 950 mil para R$ 1,5 milhão o valor do imóvel que pode ser financiado pelo Sistema Financeiro da Habitação (SFH), no qual o comprador pode usar recursos do seu FGTS. Só que, quando a decisão foi baixada, veio a surpresa da data.

“A medida é importante e precisamos que ela entre em vigor imediatamente, exatamente para estimular o setor da construção civil, que vem registrando queda desde o final de 2014. Com a medida entrando em vigor imediatamente, poderemos buscar uma melhora na dinâmica da construção civil já neste ano”, disse Martins.

O governo tem buscado adotar medidas para melhorar o ritmo de crescimento da economia. Inicialmente, a previsão era de um crescimento acima de 3% neste ano. A fragilidade política do governo, que não conseguiu aprovar medidas econômicas importantes no Congresso, e a greve dos caminhoneiros deram uma travada no crescimento. Com isso, as novas previsões são de que o país cresça 1,5% a 1,6% em 2018.

A travada na economia frustrou os planos do governo, que esperava faturar, durante a campanha eleitoral, um país crescendo em ritmo mais forte e reduzindo mais o desemprego.

Fonte: G1 Globo | 09/08/2018


Site desenvolvido pela TBrWeb (XHTML / CSS)
Visitas ao site: 55701
Leal Contábil e Consultoria  |  Fone 98. 3312 6092  Avenida Colares Moreira, Quadra 28, Lote 07
Edifício Vinicius de Moraes, sala 901 | Bairro Calhau | CEP: 65.071-322 | São Luís - Maranhão