Hackers usaram "porta dos fundos" da App Store para distribuir apps crackeados

Cotações e Índices

Moedas - 14/11/2019 17:22:43
  • Nome
  • Compra
  • Venda
  • Comercial
  • 4,186
  • 4,187
  • Paralelo
  • 4,130
  • 4,360
  • Turismo
  • 4,120
  • 4,370
  • Euro
  • 4,598
  • 4,599
  • Iene
  • 0,039
  • 0,039
  • Franco
  • 4,233
  • 4,232
  • Libra
  • 5,366
  • 5,368
  • Ouro
  • 196,700
  •  
Mensal - 23/09/2019
  • Índices
  • Jul
  • Ago
  • Inpc/Ibge
  • 0,10
  • 0,12
  • Ipc/Fipe
  • 0,14
  • 0,33
  • Ipc/Fgv
  • 0,31
  • 0,17
  • Igp-m/Fgv
  • 0,40
  • -0,67
  • Igp-di/Fgv
  • -0,01
  • -0,51
  • Selic
  • 0,53
  • 0,49
  • Poupança
  • 0,50
  • 0,50
  • TJLP
  • 0,59
  • 0,59
  • TR
  • -
  • -

Obrigações Tributárias do Dia

  • 18/Novembro/2019
  • INSS | Previdência Social
O que você achou do nosso novo site?
Ótimo
Bom
Regular

Esta semana, a Apple descobriu algo um tanto inesperado pelos usuários da marca: um sistema de pirateamento de softwares dentro da própria App Store.

De acordo com a empresa, esses piratas distribuíam versões crackeadas de Apps como Spotify, Angry Birds, Pokémon Go e Minecraft, que permitiam que os usuários tivessem acesso às áreas e ferramentas pagas desses aplicativos de forma gratuita.

Para burlar as defesas da App Store, esses piratas utilizavam certificados corporativos emitidos pela Apple, que servem para permitir que os desenvolvedores de apps utilizem uma “porta dos fundos” da App Store e instalem nos iPhones de seus funcionários apps que ainda estão em desenvolvimento e, portanto, não possuem todas as especificações necessárias para serem liberados pela App Store.

Se o modo que esses piratas usavam para distribuir seus programas parece familiar, é porque há apenas algumas semanas descobriu-se que o Facebook e a Google usavam o mesmo método para instalar nos aparelhos de alguns usuários apps que coletavam todas as informações de navegação e de uso do smartphone.

Para piorar, a Apple não possui nenhum modo de rastrear como esses piratas conseguiram o certificado empresarial da Apple ou ainda quantos aplicativos estão sendo distribuídos utilizando essa ferramenta. Por enquanto, a empresa já descobriu que as distribuidoras de software TutuApp, Panda Helper, AppValley e TweakBox são algumas das empresas que distribuíam esses softwares modificados, e todas elas já tiveram seus certificados retirados e foram expulsas da App Store.

Devido às recentes descobertas de uso abusivo do certificado corporativo feitas pela Apple, a empresa está desenvolvendo métodos para evitar que terceiros continuem usando essa permissão para burlar as regras da App Store, e até o fim deste mês deverá introduzir na ferramenta a necessidade de uma autenticação de fator duplo para usar qualquer aplicativo instalado por esse método.

Fonte: CanalTech | 15/02/2019


Site desenvolvido pela TBrWeb (XHTML / CSS)
Visitas ao site: 60918
Leal Contábil e Consultoria  |  Fone 98. 3312 6092  Avenida Colares Moreira, Quadra 28, Lote 07
Edifício Vinicius de Moraes, sala 901 | Bairro Calhau | CEP: 65.071-322 | São Luís - Maranhão