Aposentadoria por Invalidez: Redução no valor pode chegar até 40%

Cotações e Índices

Moedas - 06/12/2019 17:38:20
  • Nome
  • Compra
  • Venda
  • Comercial
  • 4,136
  • 4,137
  • Paralelo
  • 4,150
  • 4,390
  • Turismo
  • 4,020
  • 4,310
  • Euro
  • 4,647
  • 4,652
  • Iene
  • 0,039
  • 0,039
  • Franco
  • 4,239
  • 4,240
  • Libra
  • 5,480
  • 5,484
  • Ouro
  • 198,480
  •  
Mensal - 03/12/2019
  • Índices
  • Set
  • Out
  • Inpc/Ibge
  • -0,05
  • 0,04
  • Ipc/Fipe
  • -
  • 0,16
  • Ipc/Fgv
  • -
  • -0,09
  • Igp-m/Fgv
  • -0,01
  • 0,68
  • Igp-di/Fgv
  • 0,50
  • 0,55
  • Selic
  • 0,46
  • 0,48
  • Poupança
  • 0,50
  • 0,50
  • TJLP
  • 0,59
  • 0,59
  • TR
  • -
  • -

Obrigações Tributárias do Dia

  • 10/Dezembro/2019
  • Comprovante de Juros sobre o Capital Próprio-PJ.
  • IPI | Imposto sobre Produtos Industrializados.
  • Envio da Guia da Previdência Social aos Sindicatos.
O que você achou do nosso novo site?
Ótimo
Bom
Regular

Com o término do recesso parlamentar, a Reforma da Previdência volta a ser o principal assunto a ser tratado na Câmara dos Deputados. No primeiro turno, os deputados federais aprovaram com folga o texto e nele constam alterações importantes que irão impactar a vida dos trabalhadores que precisarão do benefício da aposentadoria por invalidez. “A Reforma da Previdência muda a fórmula do cálculo do benefício”, explica o advogado especialista em direito previdenciário, Carlos Alberto Calgaro.

O advogado lembra que, o cálculo da Aposentadoria por Invalidez hoje é de 100% da média salarial levando em conta a base dos 80% maiores remunerações do trabalhador desde julho de 1994 — 20% das contribuições de menor valor são descartadas.

“Essa maneira de efetuar o cálculo, deixando sem contabilizar os 20% menores salários oferece uma possibilidade de remuneração maior. Com a mudança proposta pela Reforma da Previdência, todas as contribuições deverão ser incluídas no cálculo do salário de benefício. Sendo assim, desde já alertamos as pessoas que irá reduzir bastante o valor do beneficio”, diz Calgaro.

Assim, quem se acidentou ou contraiu doença incapacitante fora do ambiente do trabalho passa a receber 60% sobre a média de contribuições e, somente depois do 21º ano o segurado terá direito a acrescer 2% a mais por ano que ultrapassar o tempo mínimo obrigatório. Se o trabalhador, por exemplo, tiver pago 21 anos de contribuição, sua aposentadoria será de 62% da média salarial.

No mês de abril, segundo o BEPS (Boletim Estatístico da Previdência Social), 28.290 aposentadorias por invalidez foram concedidas pelo INSS, das quais 16.534 para homens, ou 58,44%. O boletim não detalha o tempo de contribuição dos segurados quando começaram a receber o benefício. Isso por que, até então, não era relevante na aposentadoria por incapacidade. Com a reforma, passa a ser.

Conteúdo original por Calgaro Advogados Associados

Dica extra: Compreenda e realize os procedimentos do INSS para usufruir dos benefícios da previdência social.

Já pensou você saber tudo sobre o INSS desde os afastamentos até a solicitação da aposentadoria, e o melhor, tudo isso em apenas um final de semana?

Uma alternativa rápida e eficaz é o curso INSS na prática: Trata-se de um curso rápido, porém completo e detalhado com tudo que você precisa saber para dominar as regras do INSS, procedimentos e normas de como levantar informações e solicitar benefícios para você ou qualquer pessoa que precise. Não perca tempo, clique aqui e domine tudo sobre o INSS.

fonte: https://www.jornalcontabil.com.br   | 27/08/2019


Site desenvolvido pela TBrWeb (XHTML / CSS)
Visitas ao site: 61494
Leal Contábil e Consultoria  |  Fone 98. 3312 6092  Avenida Colares Moreira, Quadra 28, Lote 07
Edifício Vinicius de Moraes, sala 901 | Bairro Calhau | CEP: 65.071-322 | São Luís - Maranhão