Biorreator usa algas para transformar CO2 em oxigênio

Cotações e Índices

Moedas - 03/04/2020 16:13:48
  • Nome
  • Compra
  • Venda
  • Comercial
  • 5,294
  • 5,296
  • Paralelo
  • 4,470
  • 5,320
  • Turismo
  • 5,270
  • 5,580
  • Euro
  • 5,713
  • 5,716
  • Iene
  • 0,049
  • 0,049
  • Franco
  • 5,413
  • 5,417
  • Libra
  • 6,485
  • 6,491
  • Ouro
  • 272,060
  •  
Mensal - 04/03/2020
  • Índices
  • Jan/20
  • Dez/19
  • Inpc/Ibge
  • 0,19
  • 1,22
  • Ipc/Fipe
  • 0,29
  • 0,94
  • Ipc/Fgv
  • 0,59
  • 0,77
  • Igp-m/Fgv
  • 0,48
  • 2,09
  • Igp-di/Fgv
  • 0,09
  • 1,74
  • Selic
  • 0,38
  • 0,37
  • Poupança
  • 0,05
  • 0,05
  • TJLP
  • 5,09
  • 5,57
  • TR
  • -
  • -

Obrigações Tributárias do Dia

  • 09/Abril/2020 – 5ª Feira.
  • ICMS | Substituição tributária.
O que você achou do nosso novo site?
Ótimo
Bom
Regular

Por uma boa razão, muitas pessoas estão preocupadas com a quantidade de dióxido de carbono (CO2) que está sendo bombeado para a atmosfera. Esse gás tem um alto poder de retenção de calor na atmosfera, o que, consequentemente, causa o que conhecemos como efeito estufa.

Para resolver esse problema, uma empresa de inteligência artificial (IA) chamada Hypergiant Industries criou um biorreator que combina IA e algas para absorver CO2 até 400 vezes mais rápido que as árvores. O dispositivo usa um princípio chamado de "Sequestro de Carbono". Isso se refere à captura e armazenamento de dióxido de carbono usando processos biológicos. Essa é uma extensão da fotossíntese, na qual plantas, como árvores, usam energia do sol para transformar dióxido de carbono em oxigênio.

"O dispositivo [que criamos] é um modelo de sistema fechado", explicou Ben Lamm, CEO da Hypergiant Industries. "Todas as partes do processo de crescimento são rigidamente controladas e otimizadas para maximizar o consumo de CO2. A IA monitora luz, calor, crescimento, velocidade da água, pH, CO2 e produção de oxigênio, tudo para garantir condições ideais de crescimento."

As algas são uma das máquinas mais eficientes da natureza para o consumo de dióxido de carbono. As algas precisam de três elementos-chave para crescer: dióxido de carbono, luz e água. Por esse motivo, elas foram escolhidas para o projeto.

"Um dos nossos biorreatores é capaz de retirar a mesma quantidade de carbono da atmosfera que um acre inteiro de árvores", disse Lamm. "Somos uma empresa de tecnologia que produz produtos e soluções de IA – mas primeiro somos humanos e queremos criar produtos que melhorem a condição humana."

O biorreator da Hypergiant é bastante compacto pelo que se propõe, medindo 91 cm de largura por 2,13 metros de altura. Pequeno o suficiente para caber em edifícios de escritórios que querem adotar soluções mais sustentáveis.

Apesar dos resultados obtidos, Lamm enfatizou que o projeto ainda está em seus estágios iniciais. A ideia da empresa é implantar a tecnologia aos poucos, mas por enquanto o objetivo de Lamm é mostrar que a tecnologia funciona e pode ser uma alternativa para melhorar a qualidade do ar.

Fonte: Olhar Digital - 19/09/2019


Site desenvolvido pela TBrWeb (XHTML / CSS)
Visitas ao site: 64958
Leal Contábil e Consultoria  |  Fone 98. 3312 6092  Avenida Colares Moreira, Quadra 28, Lote 07
Edifício Vinicius de Moraes, sala 901 | Bairro Calhau | CEP: 65.071-322 | São Luís - Maranhão