Mensagens de WhatsApp podem ser consideradas contrato verbal

Cotações e Índices

Moedas - 06/12/2019 17:38:20
  • Nome
  • Compra
  • Venda
  • Comercial
  • 4,136
  • 4,137
  • Paralelo
  • 4,150
  • 4,390
  • Turismo
  • 4,020
  • 4,310
  • Euro
  • 4,647
  • 4,652
  • Iene
  • 0,039
  • 0,039
  • Franco
  • 4,239
  • 4,240
  • Libra
  • 5,480
  • 5,484
  • Ouro
  • 198,480
  •  
Mensal - 03/12/2019
  • Índices
  • Set
  • Out
  • Inpc/Ibge
  • -0,05
  • 0,04
  • Ipc/Fipe
  • -
  • 0,16
  • Ipc/Fgv
  • -
  • -0,09
  • Igp-m/Fgv
  • -0,01
  • 0,68
  • Igp-di/Fgv
  • 0,50
  • 0,55
  • Selic
  • 0,46
  • 0,48
  • Poupança
  • 0,50
  • 0,50
  • TJLP
  • 0,59
  • 0,59
  • TR
  • -
  • -

Obrigações Tributárias do Dia

  • 10/Dezembro/2019
  • Comprovante de Juros sobre o Capital Próprio-PJ.
  • IPI | Imposto sobre Produtos Industrializados.
  • Envio da Guia da Previdência Social aos Sindicatos.
O que você achou do nosso novo site?
Ótimo
Bom
Regular

" Juiz espanhol aceitou conversas no aplicativo entre inquilino e dono de um imóvel como provas para tomar sua decisão"

É melhor pensar duas vezes antes de sair escrevendo qualquer coisa no WhatsApp. Apesar de parecer um serviço inofensivo, em questões legais, o conteúdo do aplicativo pode ser usado contra você - ou até em seu favor, dependendo da situação.

Na Espanha, segundo reportagem do jornal Faro de Vigo, um juiz considerou a conversa virtual como “contrato verbal” entre duas partes.

A história é mais ou menos assim: no caso apresentado no Tribunal de Primeira Instância de Vigo, uma pessoa procurando um apartamento para alugar enviou mensagens pelo WhatsApp para os proprietários do imóvel que moravam fora da cidade. Na conversa, os donos do apartamento concordaram com tudo que havia sido pedido pela suposta inquilina. As condições de aluguel foram todas negociadas através do aplicativo de mensagens.

Para garantir o espaço, o inquilino se comprometia a pagar o aluguel junto com as contas de luz e água; e inclusive enviou via WhatsApp o número da sua conta e cópias dos seus documentos.

O problema é que depois de fechar o negócio e mudar para o apartamento, o inquilino parou de pagar os serviços gerando uma dívida enorme para os proprietários do imóvel. Foi aí que eles decidiram levar o caso à justiça.

O juiz então decidiu que o caso se tratava de uma "quebra de contrato verbal”, na qual as mensagens do WhatsApp creditavam essa situação. Resumo da história: o inquilino foi obrigado a cumprir as condições acordadas e voltar a pagar os serviços e acertar a dívida gerada pela inadimplência.

 

Fonte: www.olhardigital.com.br - 01/10/2019


Site desenvolvido pela TBrWeb (XHTML / CSS)
Visitas ao site: 61494
Leal Contábil e Consultoria  |  Fone 98. 3312 6092  Avenida Colares Moreira, Quadra 28, Lote 07
Edifício Vinicius de Moraes, sala 901 | Bairro Calhau | CEP: 65.071-322 | São Luís - Maranhão