Aposentadoria por invalidez: Será necessário 20 anos para receber valor integral

Cotações e Índices

Moedas - 08/04/2020 15:41:59
  • Nome
  • Compra
  • Venda
  • Comercial
  • 5,153
  • 5,154
  • Paralelo
  • 4,500
  • 5,200
  • Turismo
  • 5,190
  • 5,500
  • Euro
  • 5,676
  • 5,681
  • Iene
  • 0,048
  • 0,048
  • Franco
  • 5,376
  • 5,381
  • Libra
  • 6,454
  • 6,460
  • Ouro
  • 276,980
  •  
Mensal - 04/03/2020
  • Índices
  • Jan/20
  • Dez/19
  • Inpc/Ibge
  • 0,19
  • 1,22
  • Ipc/Fipe
  • 0,29
  • 0,94
  • Ipc/Fgv
  • 0,59
  • 0,77
  • Igp-m/Fgv
  • 0,48
  • 2,09
  • Igp-di/Fgv
  • 0,09
  • 1,74
  • Selic
  • 0,38
  • 0,37
  • Poupança
  • 0,05
  • 0,05
  • TJLP
  • 5,09
  • 5,57
  • TR
  • -
  • -

Obrigações Tributárias do Dia

  • 09/Abril/2020 – 5ª Feira.
  • ICMS | Substituição tributária.
O que você achou do nosso novo site?
Ótimo
Bom
Regular

Aposentadoria por invalidez. Como fica essa categoria de benefício, com a reforma da Previdência?

O novo marco legal da Previdência determina que o trabalhador que vai se aposentar por invalidez siga as mesmas regras que as demais trabalhadores.

Apenas o aposentado por acidente de trabalho e doenças profissionais vai receber 100% da média salarial, como explica Diego Cherulli, secretário-geral do Instituto Brasileiro de Direito Previdenciário.

No Senado, os parlamentares mudaram o texto, e a aposentadoria especial que é destinada para quem trabalha exposto a agentes nocivos à saúde terá regras mais flexíveis, a depender do tempo de exposição que o trabalhador conseguirá provar e também da idade.

É o que explica o ex-conselheiro de Recursos da Previdência Social, o advogado especialista em direito previdenciário Yuri Queiroz.

O calculo será de 60% mais 2% a cada ano até atingir 100% em 15 anos, no caso das mulheres e dos mineiros de subsolo. Os homens atingem 100% da média ao completar 20 anos de contribuição.

Diego Cherulli, do Instituto Brasileiro de Direito Previdenciário, explica ainda o que mudou nas regras de acúmulo de beneficio.

Essa nova regra que permite o acúmulo não se aplica a aposentadorias de médicos, professores e outras categorias com aposentadorias do regime próprio.

Já o Benefício de Prestação Continuada (BPC) e o Abono Salarial não sofreram mudanças na reforma, e as regras continuam as mesmas.

Fonte:www.jornalcontabil.com.br | 18/11/2019


Site desenvolvido pela TBrWeb (XHTML / CSS)
Visitas ao site: 65332
Leal Contábil e Consultoria  |  Fone 98. 3312 6092  Avenida Colares Moreira, Quadra 28, Lote 07
Edifício Vinicius de Moraes, sala 901 | Bairro Calhau | CEP: 65.071-322 | São Luís - Maranhão