Pró-labore: Saiba como calcular e entenda sua importância

Cotações e Índices

Moedas - 01/04/2020 16:47:11
  • Nome
  • Compra
  • Venda
  • Comercial
  • 5,238
  • 5,240
  • Paralelo
  • 4,430
  • 5,190
  • Turismo
  • 5,210
  • 5,520
  • Euro
  • 5,721
  • 5,722
  • Iene
  • 0,049
  • 0,049
  • Franco
  • 5,411
  • 5,417
  • Libra
  • 6,501
  • 6,506
  • Ouro
  • 268,490
  •  
Mensal - 04/03/2020
  • Índices
  • Jan/20
  • Dez/19
  • Inpc/Ibge
  • 0,19
  • 1,22
  • Ipc/Fipe
  • 0,29
  • 0,94
  • Ipc/Fgv
  • 0,59
  • 0,77
  • Igp-m/Fgv
  • 0,48
  • 2,09
  • Igp-di/Fgv
  • 0,09
  • 1,74
  • Selic
  • 0,38
  • 0,37
  • Poupança
  • 0,05
  • 0,05
  • TJLP
  • 5,09
  • 5,57
  • TR
  • -
  • -

Obrigações Tributárias do Dia

  • 03/Abril/2020 – 6ª Feira.
  • ICMS | Refinador de petróleo e suas bases.
  • ICMS | Refinador de petróleo e suas bases.
  • ICMS
O que você achou do nosso novo site?
Ótimo
Bom
Regular

Você sabe como calcular o pró-labore? Sem dúvida, essa é uma das principais dúvidas de muitos empreendedores, principalmente dos iniciantes no assunto. Mas, você vai ver que não tem nenhum mistério!

Pró-labore é o pagamento feito pelo trabalho de um sócio-administrador. É muito comum que essas pessoas tenham um dia intenso nas empresas, entrem cedo e saiam tarde, inclusive sendo as últimas a saírem do expediente.

Está interessado em saber mais sobre o assunto? Neste post, explicaremos detalhadamente qual é a importância do pró-labore, como ele deve ser calculado, qual a diferença desse conceito para os dividendos e quais são os principais tributos incidentes. Continue lendo!

Qual a importância do pró-labore?

Ele ajuda a garantir mais sustentabilidade financeira nas empresas. Isso porque há a clara separação do patrimônio empresarial em relação ao patrimônio pessoal dos sócios.

Vale destacar que a mistura das contas pessoais com as empresariais (uso de recursos da empresa para pagar contas pessoais e vice-versa) é um dos principais motivos de falência dos negócios. Quando se usa o dinheiro da empresa para pagar contas pessoais, você prejudica as finanças da sociedade e diminui a capacidade de investimento. Além disso, as chances de falência aumentam. Por isso, fixar um pró-labore para os administradores evita esse problema.

Como deve ser calculado?

Não existe regra específica pra calcular o valor, mas é recomendado que você liste as tarefas e responsabilidades dos sócio-administradores pra chegar à quantia a ser paga.

É importante também ter cuidado ao fazer o cálculo. O pró-labore dos sócios não pode impactar nas finanças da empresa, ou seja, não deve ser baseado no valor que os sócios querem receber e, sim, no que a empresa pode pagar.

Se você não tiver ideia de como calcular, imagine quanto você pagaria para um funcionário exercer as mesmas funções de administrador da empresa. O ideal é que o pró-labore seja equivalente a esse valor.

Considerando isso, em geral, o valor do pró-labore é superior ao salário pago aos funcionários, já que o cargo de administrador da empresa é o que carrega mais responsabilidades.

Qual a diferença entre pró-labore e dividendos?

O pró-labore, como já destacamos, é a quantia paga aos sócios-administradores pelo seu trabalho na empresa. Os dividendos, ou lucros, por sua vez, são pagos aos investidores, ou seja, remuneram o risco.

É importante ressaltar que os dividendos são pagos apenas depois que a companhia pagou todas as suas contas, impostos e pró-labore. A quantia a ser destinada a cada indivíduo, em regra, é dividida entre os sócios de acordo com as cotas estabelecidas no contrato social. A distribuição de lucros é isenta de impostos!

Quais são os tributos pagos sobre o pró-labore?

Os sócios-administradores que recebem pró-labore devem colaborar com 11% para o INSS, independentemente do valor, respeitando o teto de contribuição. Além, é claro, do Imposto de Renda, que será calculado de acordo com a Tabela Progressiva estabelecida pela Receita Federal, podendo variar de 0 a 27,5%.

Em geral, as empresas ficam responsáveis pelo INSS patronal. A legislação previdenciária determina que a organização deve contribuir com 20% sobre o valor do pró-labore. Já as empresas optantes pelo Simples Nacional não precisam pagar nenhum encargo sobre o valor definido.

O controle financeiro é muito importante para as empresas e o pró-labore ajuda justamente nessa questão. É importante definir corretamente as retiradas sem que isso afete a lucratividade do negócio!

Fonte: Jornal Contábil - 05/03/2020


Site desenvolvido pela TBrWeb (XHTML / CSS)
Visitas ao site: 64811
Leal Contábil e Consultoria  |  Fone 98. 3312 6092  Avenida Colares Moreira, Quadra 28, Lote 07
Edifício Vinicius de Moraes, sala 901 | Bairro Calhau | CEP: 65.071-322 | São Luís - Maranhão